Cálculo Seguro Desemprego – Como calcular o valor e simular parcelas

Se você foi demitido e tem direito a receber o abono do trabalhador de carteira assinada, saiba neste artigo como fazer o cálculo seguro desemprego em poucos passos de maneira confiável.

Foi criado, já a muitos anos o seguro desemprego, que se apresenta como um abono para funcionários que trabalham seguindo as regras de direito do benefício. As regras para recebimento vem mudando nos últimos anos, principalmente no que se diz respeito ao cálculo das parcelas e período de recebimento.

Mas, como é feito o cálculo seguro desemprego e saber o valor que tenho para receber? Vamos explicar essa e outras questões para você neste artigo, continue acompanhando todos os tópicos abaixo.

Cálculo Seguro Desemprego 2020

Como já foi comentado, o seguro desemprego surge como opção em momentos complicados para o trabalhador. Por isso ele se configura como sendo o direito trabalhista mais importante.

Cálculo Seguro Desemprego

Porém para ter direito a sua solicitação é preciso seguir algumas regras e se enquadrar nas seguintes questões:

  • Não pode receber outro benefício paralelamente;
  • Pescadores em atividades suspensas do período de defeso;
  • Ter recebido 18 salários, de forma consecutiva ou não em um período de 24
  • meses de acordo com a data de dispensa;
  • Ter sido demitido sem justa causa;
  • Trabalhador resgatado de condições de trabalho escravo ou em casos parecidos;
  • Ter trabalhado por 18 meses, podendo ser consecutivos ou não, durante os últimos 36 meses anteriores a sua data de dispensa.

Além disso, o regimento a ser seguido é o CLT. O cálculo do valor a ser pago no seguro desemprego vem de acordo com o salário recebido pelo empregado nos 3 meses anteriores a sua demissão.

O cálculo seguro desemprego é mais ou menos uma média relacionada ao valor recebido e o tempo trabalhado. Assim é estabelecido um valor que tenta chegar o mais próximo possível da média recebida pelo trabalhador e do valor que geralmente ele precisa para se manter.

Dúvidas frequentes respondidas:

Como calcular o seguro desemprego

A seguir organizamos uma lista com os valores e suas disposições, de acordo com a média salarial do trabalhador nos últimos 3 meses empregado:

  • Até R$ 1.450,23 – O salário médio será multiplicado por 0.8 (80%).
  • De R$1.450,24 até R$2.417,29 – O valor que exceder os R$1.450,23, se multiplica por 0.5 (50%) e soma a R$1.160,18.
  • Acima de R$ 2.417,29 – O calor de cada parcela será de R$ 1.643,72.

Abaixo vamos disponibilizar por meio do passo a passo todas as informação de como simular o cálculo seguro desemprego pela internet, veja como:

Cálculo Seguro Desemprego

Passo 01. O primeiro passo a ser dado é pesquisar por meio do seu navegador padrão a calculadora Seguro Desemprego.


Passo 02. Em seguida, clique em uma das calculadoras disponibilizadas, a melhor opção de calculadora online é https://www.calculadorafacil.com.br.


Passo 03. Feito isso, preencha todos, como: Ultimo salario bruto, Penúltimo Salario Bruto e Antepenúltimo Salario Bruno.


Passo 04. Logo após, informe a sua solicitação juntamente com quantos meses você trabalhou nos últimos 18 e 36 meses e clique em “Calcular”.


Vale destacar, que por lei, o trabalhador não poderá receber um valor abaixo do salário mínimo em vigor como parcela do seguro desemprego.

Dessa forma, caso a multiplicação de um salário inferior aos R$1.450,23 por 0.8 ficar abaixo do salário mínimo, o valor será ajustado para exatamente o do salário mínimo.

Parcelas do seguro desemprego

O seguro desemprego pode ser pago em 3, 4 ou 5 parcelas. Além disso o prazo de tempo de trabalho para recebimento do direito muda, dependendo das solicitações já efetuadas.

Vamos analisar cada caso e o que se pede:

Primeira solicitação:

Possibilidade 1 – A pessoa precisa comprovar vínculo empregatício seguindo regimento CLT de no mínimo 12 meses, e no máximo, 23 meses, no período de referência, nesse caso o pagamento ocorre em 4 parcelas;

Possibilidade 2 – A pessoa precisa comprovar vínculo empregatício seguindo o regimento CLT de no mínimo 24 meses, no período de referência, o pagamento será realizado em 5 parcelas do seguro desemprego.

Segunda solicitação:

Possibilidade 1 – A pessoa precisa comprovar vínculo empregatício seguindo regimento CLT de no mínimo 9 meses, e no máximo, 11 meses, no período de referência, nesse caso o pagamento ocorre em 3 parcelas;

Possibilidade 2 – A pessoa precisa comprovar vínculo empregatício seguindo regimento CLT de no mínimo 12 meses, e no máximo, 23 meses, no período de referência, nesse caso o pagamento ocorre em 4 parcelas;

Possibilidade 3 – A pessoa precisa comprovar vínculo empregatício seguindo o regimento CLT de no mínimo 24 meses, no período de referência, o pagamento será realizado em 5 parcelas.

Terceira solicitação:

Possibilidade 1 – A pessoa precisa comprovar vínculo empregatício seguindo regimento CLT de no mínimo 6 meses, e no máximo, 11 meses, no período de referência, nesse caso o pagamento ocorre em 3 parcelas;

Possibilidade 2 – A pessoa precisa comprovar vínculo empregatício seguindo regimento CLT de no mínimo 12 meses, e no máximo, 23 meses, no período de referência, nesse caso o pagamento ocorre em 4 parcelas;

Possibilidade 3 – A pessoa precisa comprovar vínculo empregatício seguindo o regimento CLT de no mínimo 24 meses, no período de referência, o pagamento será realizado em 5 parcelas.

É importante estar bem informado sobre tudo que cerca esse direito tão importante, espero que esse artigo tenha ajudado nisso. Caso tenha alguma dúvida sobre o cálculo seguro desemprego deixe o seu comentário agora mesmo para que possamos ajudá-lo o mais breve possível.

Deixe um comentário